Últimas Notícias Últimas Notícias

Voltar

TJPR inaugura Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania no Fórum Descentralizado do Pinheirinho

TJPR inaugura Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania no Fórum Descentralizado do Pinheirinho

TJPR inaugura Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania no Fórum Descentralizado do Pinheirinho

O Tribunal de Justiça do Estado do Paraná (TJPR) instalou nesta terça-feira (16/12), o Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (CEJUSC), da Vara Descentralizada do Pinheirinho, do Foro Central da Comarca da Região Metropolitana de Curitiba.

O CEJUSC atua dentro de uma nova visão multidisciplinar, articulando uma rede de proteção e fazendo com que o processo ganhe qualidade e eficiência em benefício da população. "A finalidade do Centro Judiciário é estimular a prática do diálogo entre as partes, no sentido de que a Justiça possa auxiliar para que as próprias pessoas possam buscar a solução de seus conflitos de forma rápida, barata e informal", destacou o Presidente do Tribunal, Desembargador Guilherme Luiz Gomes.

Durante a solenidade, a Coordenadora do CEJUSC, Juíza Manuela Simon Pereira Rattmann, lembrou que o Fórum Descentralizado do Pinheirinho foi inaugurado há apenas seis meses. "Iniciamos com zero processos e hoje em torno de duas mil ações já foram distribuídas a esta Vara e destas 500 já foram julgadas", ressaltou a Magistrada.

O objetivo do Fórum Descentralizado do Pinheirinho é facilitar o acesso à Justiça para cerca de 200 mil pessoas de cinco bairros da capital (Capão Raso, Pinheirinho, Campo do Santana, Tatuquara e Caximba), prestando atendimento gratuito por meio dos Juizados Especiais Cíveis, Criminais e Fazenda Pública e das Varas da Família, Sucessões, Infância e Juventude.

A partir de agora, a população desses bairros terá à disposição mais uma forma de resolver seus conflitos, independentemente do ajuizamento de uma ação, da instauração de um processo judicial, através da conciliação e da mediação. "A conciliação e a mediação, que são disponibilizadas nos Centros Judiciários de Solução de conflitos como o que hoje está sendo instalado aqui, apresentam-se como uma forma diferenciada de as pessoas resolverem seus problemas jurídicos, através de uma solução que elas próprias construíram , obtendo resultados mais céleres, eficazes e duradouros", complementou a Coordenadora do CEJUSC, Juíza Manuela Simon Pereira Rattmann.

Em seu discurso, o Segundo Vice-Presidente do Tribunal e Presidente do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos, Desembargador Fernando Wolff Bodziak, destacou que Justiça boa é Justiça rápida, fácil e eficiente e ela se torna melhor ainda quando está próxima do cidadão.  O Desembargador adiantou que os próximos passos serão a criação dos Fóruns Descentralizados do Portão, Boa Vista e Cajuru que devem atuar em apoio ao Fórum Central. "Esse trabalho desenvolvido perto do cidadão garante o exercício pleno da cidadania e cumpre o verdadeiro papel da Justiça que é prestar atendimento de qualidade aos menos favorecidos", afirmou o Segundo Vice-Presidente.

Atuando dessa forma, o Tribunal de Justiça promove a cultura da paz e consegue dar melhor encaminhamento às demandas, sem processo judicial, eliminando o litígio e resolvendo com efetividade o problema das partes. "Não queremos dar fim ao processo e sim dar fim ao conflito", explicou o Desembargador Fernando Wolff Bodziak.

Antes de descerrar a placa alusiva à inauguração do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania, o Presidente do TJPR, Desembargador Guilherme Luiz Gomes, reafirmou o compromisso do Judiciário Estadual com a efetiva prestação da Justiça ao povo paranaense. "Nosso Poder Judiciário é constituído de Magistrados e Servidores vocacionados que são um exemplo de dedicação à prestação de serviços à comunidade e isso nos permite acreditar que em breve a Justiça do Paraná será uma das melhores do País", concluiu o Presidente.

Também participaram do evento o Corregedor do Tribunal de Justiça, Desembargador Robson Marques Cury; o Desembargador Adalberto Jorge Xisto Pereira; o Juiz Substituto em Segundo Grau, Edson Macedo Filho; a Juíza Coordenadora do CEJUSC da Vara Descentralizada de Santa Felicidade, Adriana de Lourdes Simette, além de servidores, representantes da Defensoria Pública, conciliadores, coordenadores e professores das Faculdades Santa Cruz.